Saltar para o conteúdo principal Mapa do Website

Você não Está Aqui

Exposições

Parque das Nações

Obter Direcções

23 Ago — 30 Set - 2018

Parque das Nações

Obter Direcções

23 Ago — 30 Set - 2018

Acessibilidade a pessoas com mobilidade reduzida.

Como chegar
Metro: Oriente (linha vermelha)
Autocarro: 26B, 728
Comboio: Oriente (linha Azambuja, Sintra e Norte)

“Os lugares possuem um espírito. Mas o tempo não lhes permite que se mantenha o mesmo para sempre. Neste pedaço de Lisboa, qualquer coisa em hectares (340) como a extensão que vai do Terreiro do Paço a Entrecampos, morreram maneiras de construir, modos de ir deixando andar, parte de um século. Paz à sua lama. A meio do século passado, certa vontade de desenvolvimento colocou às portas da cidade a refinaria de «ouro negro» que a alimentava, com um farol aceso a chamar navios, tendo à sua volta acumulado restos, abandonados de toda a espécie e feitio. O século XX acabava e a capital ignorava o seu oriente quando, a pretexto do encontro com outros orientes, resolveu atirar-se a uma das maiores transformações urbanas do país. A regeneração do território foi, aliás, uma das principais razões para que Portugal ganhasse, há 20 anos, a organização da última exposição mundial do século, a EXPO ‘98, de par com a celebração da viagem de Vasco da Gama e por ter escolhido os oceanos como tema. Uma das maneiras de aferir o sucesso da mudança está no apagamento da memória do que aqui foi. O trabalho do fotógrafo é captar espíritos. Ora Bruno Portela (Lisboa, 1966) estava, nos idos de 1994, no lugar exato à hora certa para registar este fim de um ciclo. O seu olhar tornou-se mais do que meramente documental. Por um lado, não ignora o humano nas estruturas, nas formas, nos restos e na poeira de que parece feita a paisagem. E por outro, coloca-nos no coração da vaga e sólida tristeza que se solta do tempo a passar. Uma cidade pode esconder outra: cuidado a atravessar.”

João Paulo Cotrim

 

até 30 setembro
Exposição de fotografias de Bruno Portela
Parque das Nações, vários locais
Entrada livre

Sete núcleos expositivos, com 78 fotografias a grande escala, instalados numa zona do Parque das Nações: Torre Galp; Oceanário; Pavilhão de Portugal; Centro Comercial Vasco da Gama; Pavilhão Atlântico; Torre Vasco da Gama e Ponte Vasco da Gama.

Dia 2 de setembro, às 10h30, o escritor Rui Cardoso Martins faz uma visita guiada e comentada à exposição de Bruno Portela. O ponto de encontro é o núcleo da exposição junto à Torre Galp.

Fotografia: Bruno Portela
Curadoria: Francisco Leong e José Manuel Ribeiro
Textos: João Paulo Cotrim
Design: Susana Cruz
Implantação: André Maranha
Apoio: Junta de Freguesia Parque das Nações, Arranha-Céus

30 setembro
Altice Arena, 18h
Entrada livre

Lançamento do livro Você Não Está Aqui, com fotografias de Bruno Portela e textos de João Paulo Cotrim